O uso da Internet nas eleições de 2020

Já não há mais dúvida que o uso da Internet nas eleições de 2020 será um fator fundamental para as campanhas eleitorais.

Isso se deve ao fato da população brasileira ter cada vez mais acesso a banda larga e até mesmo a dispositivos móveis como os telefones celulares com conexão à Internet e tablets.

Achar que uma campanha eleitoral em 2020 estará completa sem uma presença na Internet é menosprezar o poder da mídia que vem mudando a forma das pessoas se relacionarem.

As alternativas para o uso da Internet nas eleições de 2020

A legislação eleitoral deixou claras as regras de uso da Internet em campanhas de marketing político eleitoral na Lei 9.096 qualquer profissional de marketing digital já sabe o que poderá ou não usar.

Com multas que variam de R$ 5.000 a R$ 30.000, não é muito indicado utilizar o “sobrinho que mexe com Internet” para o gerenciamento de uma campanha de marketing político digital.

O problema não é tanto o da multa, mas sim o estrago que uma pessoa não qualificada pode fazer em termos de imagem digital do candidato.

Quando o legislador traça diretrizes para o uso da internet em campanhas de marketing político digital eleitoral, ele parte do princípio de que os gestores de patrocinadores destas campanhas tem pleno conhecimento técnico das ferramentas disponíveis.

Este é um raciocínio lógico, principalmente em um país como o Brasil, que já ocupa posição de destaque no cenário web internacional. Por isso, a desculpa de que “desculpe o erro do meu sobrinho” não cola mais.

Antecipação é fundamental

Muito embora só possamos contar até o momento com uma previsão para o calendário eleitoral de 2020, já é possível dar os primeiros passos em termos de marketing político eleitoral na Internet.

O uso da Internet nas eleições de 2020 será caracterizado pela criação de comunidades digitais em torno da militância online.

Por isso, é preciso já ir preparando o terreno para as próximas eleições, principalmente se o candidato não tiver ainda uma boa estrutura para o marketing político digital.

O uso da Internet nas eleições de 2020

O fenômeno das Fake News

O uso da Internet nas eleições de 2020, infelizmente, terá como destaque negativo o uso de Fake News, como pudemos observar nas eleições passadas.

Por isso, os candidatos e equipes de campanha devem se antecipar e preparar um protocolo de gestão de crises nas redes sociais, para não serem vítimas deste tipo de artimanha.

Uma equipe bem treinada e procedimentos pré-estabelecidos para enfrentar esta situação irá evitar desgastes à imagem e a disseminação de notícias falsas.

Cenário do uso da Internet nas eleições de 2020

As regras para a propaganda eleitoral na Internet em 2020 já estão bem claras, e por isso, já é possível começar a traçar as estratégias de marketing político digital, para a implementação o quanto antes.

Para orientar os candidatos e coordenadores de campanhas que pretendem fazer uso da Internet nas eleições de 2020, vale lembrar que nas eleições proporcionais, assim como nas majoritárias anteriores as regra básicas são:

    • Da mesma forma que na mídia tradicional, é vedado pedir votos até a data de início oficial de campanhas eleitorais;
    • Desde a eleição passada é permitida a propaganda paga nas campanhas eleitorais, como impulsionamento de publicações nas redes sociais e outros canais digitais;
    • Sites e blogs de candidatos devem ser devidamente registrados junto ao STE.

Nas eleições municipais valerão as mesmas regras das eleições passadas, mas o ambiente digital é diferente.

A análise do perfil do eleitor nas eleições 2020 deverá ser muito mais segmentada e focada nas questões locais.

O uso da Internet nas eleições de 2020 certamente fará a diferença nos resultados eleitorais, mas para isso os candidatos devem estar preparados para os desafios desse novo canal. Mantenha-se atualizado assinando a nossa Newsletter.

O uso da Internet nas eleições de 2020
5 (100%) 6 voto[s]

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here