Consultor fala sobre o marketing político digital e seu impacto nas próximas eleições

Com a chegada das eleições, é cada vez mais recorrente a discussão sobre o uso do marketing digital nas campanhas eleitorais do próximo ano. Que o marketing digital e as redes sociais terão um papel importante, não há mais discussão, mas qual será o seu verdadeiro impacto?

Para nos ajudar a entender um pouco mais sobre o uso dessa nova ferramenta e seus impactos sobre o resultado das eleições 2016, entrevistamos o consultor Alberto Valle, responsável pelo curso de marketing político nas redes sociais oferecido pela Academia do Marketing, consultoria carioca especializada em treinamentos na área do marketing online e colaborador habitual do nosso site.

Eleitor Online – Para você, qual é a principal diferença do marketing político digital e o convencional?

Alberto Valle Em primeiro lugar o alcance e em segundo e talvez mais importante, a possibilidade de interação com o eleitor. A Internet nos dá a chance de criar uma campanha multicanal e multidirecional, criando um elo mais forte entre candidato e eleitor. Através das redes sociais o candidato agora tem espaço e tempo para esclarecer suas propostas e discutir propostas, o que é cada vez mais difícial nas campanhas convencionais.

Eleitor Online – Então uma campanha na Internet seria melhor que uma campanha convencional?

Alberto Valle De forma alguma. São ações de marketing político complementares. O corpo a corpo vais sempre ter o seu lugar, pois ele é justamente o tipo de relacionamento que tentamos levar para o mundo virtual. O que muda é a necessidade de ter uma presença digital como apoio para a campanha. Um dos grandes segredos para o sucesso de uma campanha de marketing digital no segmento político é justamente saber integrar os dois formatos, o convencional e o virtual, criando uma sinergia entre os dois.

Eleitor Online – A Internet pode ajudar a uma pessoa que nunca se candidatou antes a ser eleita?

Alberto Valle Isso é possível, desde que a proposta apresentada conquiste a simpatia das pessoas e acima de tudo, tenha credibilidade. Todos sabem que a Internet não elege ninguém, o que torna uma candidatura vitoriosa são as propostas e o respaldo moral e administrativo dessas propostas. A história toda é bem simples, competência e transparência.

Eleitor Online – Como os novos candidatos podem conquistar votos através da Internet?

Alberto Valle Através de engajamento e interação com o eleitor. As pessoas querem se envolver nas campanhas, querem ser parte ativa do processo eleitoral e para isso é necessário que os candidatos e suas equipes forneçam estes canais de interação. O cidadão quer ser ouvido e respeitado. Essa é a essência de qualquer campanha política na Internet e todo consultor de marketing político digital precisa ter isso sempre em mente. Essa foi a grande sacada do Obama e aqui no Brasil, da Marina nas eleições presidenciais.

Eleitor Online – Em um país com acesso à Internet restrito, uma campanha de marketing político digital tem um bom resultado?

Alberto Valle Sem dúvida. Embora o acesso à Internet ainda seja restrito, o percentual da população que faz uso desse canal é significativo em relação ao resultado de uma eleição. São formadores de opinião e referenciais de informação em seus círculos sociais e por isso tem o poder de cunhar a imagem de um candidato e suas propostas. O eleitor 2.0 tem uma capacidade de influenciar as pessoas que estão ao seu redor muito maior que o eleitor não conectado.

Eleitor Online – Mesmo com a Internet, a televisão ainda tem um papel importante nas campanhas eleitorais?

Alberto Valle Certamente a televisão ainda desempenha uma função importante no marketing político, mas gradativamente perderá importância. O grande problema da televisão é que se transformou em uma ferramenta chata e invasiva. Além do mais, o espaço no horário eleitoral gratuito é ridículo em alguns casos enquanto a Internet oferece um canal 24 horas no ar e com interatividade. No caso das eleições proporcionais então, acho que a informação pela televisão é quase nula atualmente, principalmente para os pequenos partidos ou coligações menores.

Eleitor Online – Qual o custo de uma campanha de marketing político eleitoral na Internet?

Alberto Valle Depende muito da campanha, mas certamente não é de graça como muita gente imagina. Fazer uma campanha de marketing político digital envolve profissionais capacitados e ferramentas eficientes e isso não é grátis. Marketing político na Internet é coisa para profissionais, mas certamente é muito mais barato que as campanhas convencionais.

Eleitor Online – Qual o momento ideal para se iniciar uma campanha de marketing político eleitoral na Internet?

Alberto Valle – O quanto antes. Em nosso curso de marketing político sempre faço questão de dizer que uma presença digital não se constrói da noite para o dia. Marketing político digital eleitoral é marketing de relacionamento e por isso depende da criação de um elo entre as partes. A Lei Eleitoral não permite campanhas antes do dia 7 de julho, mas isso não significa que você não possa ir construindo sua base de relacionamento com o eleitorado. Se deixar pra fazer isso em cima da hora, é melhor nem começar.

Consultor fala sobre o marketing político digital
5 (100%) 1 voto[s]

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here