Embora ainda muito pouco explorado no Brasil, o marketing político no LinkedIn não só é viável como também de grande importância para reforçar a marca pessoal do candidato, mas é preciso tenha o perfil para este tipo de campanha e conhecer as regras não escritas dessa rede para não fracassar.
Embora ainda muito pouco explorado no Brasil, o marketing político no LinkedIn não só é viável como também de grande importância para reforçar a marca pessoal do candidato, mas é preciso tenha o perfil para este tipo de campanha e conhecer as regras não escritas dessa rede para não fracassar.

Marketing político no LinkedIn – Quando e como fazer

Falar em marketing político no LinkedIn pode causar estranheza na maioria das pessoas, mas o fato é que essa é uma estratégia não só viável como também muito eficiente. O grande desafio neste caso é saber para qual perfil de candidato podemos lançar mão deste recurso.

O LinkedIn é a maior rede social vertical do mundo, ou seja uma rede social focada em pessoas com um interesse comum, no caso, o relacionamento profissional. Por suas características, não seria o melhor lugar do mundo para desenvolvermos uma campanha de marketing político digital, mas mesmo assim isso é possível.

Dificilmente teremos o marketing político no LinkedIn como principal estratégia de uma campanha, até mesmo pelas próprias características dessa mídia, mas dependendo do perfil do candidato, pode se transformar em uma poderosa ferramenta de comunicação, principalmente se ele assume a bandeira da defesa dos interesses de uma determinada categoria profissional.

Por ser uma estratégia acessória, a propaganda eleitoral no LinkedIn não consome muitos recursos e pode ser feita sem que seja necessário investir muito tempo, já que a frequência de publicações é bem menor do que em outras mídias sociais. Isso faz com que essa seja uma boa opção em termos de marketing político nas mídias sociais para as próximas eleições.

O perfil do candidato precisa ser compatível com a rede

Marketing político no LinkedIn exige adequação
Marketing político no LinkedIn exige adequação do perfil

Uma das primeiras coisas a ser pensada quando falamos em marketing político no LinkedIn é se o candidato possui o perfil necessário para implementarmos uma estratégia neste canal, pois esse é um requisito básico para que todo o resto funcione.

Para implementarmos este tipo de campanha é necessário que o candidato possua um histórico profissional denso e se destaque não apenas como profissional em sua área, mas também como um formador de opinião.

Diferentemente do Facebook e Twitter, no LinkedIn, o reconhecimento profissional, terá muito mais valor do que as próprias publicações. Por isso, se for usar esta estratégia, é bom começar cedo, porque a construção de uma marca pessoal no LinkedIn é um trabalho que requer tempo.

Não há como inserir um candidato com uma formação acadêmica sem expressão ou fraca atuação profissional nesse tipo de campanha. Elitista? Talvez sim, essa pode ser chamada de uma estratégia de marketing político um pouco elitista, mas essa é a realidade e não há como negá-la.

Como em outras ações de marketing político nas redes sociais, o perfil do candidato precisará ter o poder de se relacionar com um grande número de pessoas, e influenciar esses contatos através de suas publicações.

Os canais para o marketing político no LinkedIn

Ao contrário de outras mídias sociais como o Facebook, os espaços para criação de ações de marketing político digital no LinkedIn são bem restritos e por isso, como em outros canais, o planejamento estratégico é fundamental. Basicamente temos as seguintes opções no LinkedIn:

  • Perfil pessoal – O próprio perfil do candidato já é uma área de comunicação
  • Timeline pessoal – Disponível para todos que possuem um perfil no LinkedIn
  • Grupos de discussão – Também disponível para quem possui um perfil
  • Company Pages – Para pessoas que possuem uma empresa com página no LinkedIn
  • LinkedIn Pulse – Restrito a profissionais de destaque no mercado

Cada um destes canais exige uma estratégia própria e por isso como em qualquer outra ação dentro do marketing político digital, é preciso planejamento e antecipação. Em nosso Curso de LinkedIn sempre recomendamos que cada um destes canais seja trabalhado de forma gradativa, pois na verdade o sucesso de um acaba dependendo do outro.

Respeite as regras da rede

Um cuidado que devemos ter em relação ao marketing político no LinkedIn é em relação às regras de etiqueta no LinkedIn, normas não escritas que na verdade regulam os relacionamentos no LinkedIn. É preciso entender que o LinkedIn é uma rede de relacionamentos profissionais, portanto, qualquer postagem fora desse foco é totalmente fora de propósito.

Esse talvez seja o grande desafio do marketing político no LinkedIn. O candidato ou equipe, precisam saber dosar muito bem o Personal Branding e ao mesmo tempo passar a mensagem eleitoral, sem abordá-la diretamente na publicação.

Em qualquer estratégia de marketing pessoal online, conhecer o limite entre a criação de um bom networking e a autopromoção ou marketing de produtos ou serviços já é um desafio, mas no caso do LinkedIn e especificamente no marketing político nesta rede, esse desafio é ainda maior.

Mantenha-se atualizado sobre questões como o marketing político no LinkedIn e outras redes sociais, assinando nosso Boletim Informativo.

Por Alberto Valle, diretor e instrutor da Academia do Marketing

5.00 avg. rating (98% score) - 3 votes

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA