O marketing político na Internet e eleições

O marketing político na Internet já está na pauta de vários candidatos que nas eleições de 2018 pretendem disputar uma vaga.

Com o sucesso de Barack Obama na campanha de 2012 e algumas boas campanhas que se destacaram aqui no Brasil nas eleições majoritárias de 2016, nenhum candidato pode ignorar essa ferramenta.

Porém, quando se entra na discussão sobre marketing político na Internet, surgem dúvidas em relação a como implementar uma estratégia de marketing político digital. Que recursos digitais usar? Que tipo de profissional contratar? Quanto isso irá custar?

As perguntas procedem, entretanto, mais importante que isso é entender o conceito que está por trás de uma campanha de marketing político digital. Sem entender esse conceito básico, não há como ter sucesso em qualquer tipo de ação de marketing eleitoral online.

Marketing político na Internet é uma coisa e propaganda política é outra

Esse é um ponto fundamental a ser entendido pelos candidatos. Quando tratamos de marketing político digital estamos traçando uma estratégia macro. Uma coisa é você distribuir santinhos ao eleitores e outra é você planejar como será esse santinho e onde será distribuído.

A propaganda política é o resultado final de todo um planejamento estratégico de atuação, é a ação final de um processo. O marketing político na Internet é bem mais complexo. Marketing político eleitoral envolve todo um processo pesquisa, definição de perfis, criação das Personas de Marketing, ambiente de campanha, seleção de ferramentas e monitoramento de resultados.

O marketing político é muito mais um processo de definição de ações de inteligência estratégica e construção de argumentos do que a ação em si. É por isso que ao debatermos a questão do marketing político digital, sempre colocamos esta estratégia como ferramenta de longo prazo e nunca como solução imediatista visando apenas as próximas eleições.

Quando jogamos o cenário da campanha para o ambiente da Internet esse processo ganha o rótulo de marketing político digital e é nesse ponto que muita coisa muda. Seria um grande erro tentar levar para Internet o formato e estrutura de uma campanha eleitoral no ambiente físico. Simplesmente não funcionaria.

A Internet tem regras próprias e por isso, quando falamos de marketing político na Internet estamos falando de uma campanha totalmente diferente daquela que estamos acostumados a ver no ambiente físico.

Na web o processo de convencimento é muito mais sutil e elaborado. É necessário criar um engajamento e ter um diferencial real em relação aos outros candidatos.

Marketing político na Internet

Marketing político na Internet e seus desafios
Marketing político na Internet e seus desafios

O marketing político na Internet exige muito mais do que declarações nas mídias sociais, ele exige engajamento do público e interação.

Quando se leva a campanha política para a web, leva-se todo um trabalho de convencimento para um ambiente bidirecional e altamente interativo.

Essa é a grande diferença do marketing político digital em relação ao bom e velho marketing político convencional. No marketing político digital, principalmente o feito através das redes sociais, o eleitor também tem voz ativa no processo de comunicação.

Ao contrário das ferramentas de marketing eleitoral do ambiente físico o marketing eleitoral na internet possibilita a interação dos usuários, o que faz toda a diferença.

Os eleitores tem na Internet, a possibilidade de dialogar com os candidatos e por isso as campanhas precisam focar no engajamento e não somente na exposição da imagem do candidato, como no marketing político convencional.

Não se pode usar a Internet como palanque eleitoral com um conteúdo unicamente declaratório e não sujeito à argumentação. A interatividade é a ferramenta chave do marketing político digital e é cobrada pelo eleitor digital.

A interatividade é o segredo do marketing político na Internet

O pilar de uma campanha de marketing político na Internet está na interatividade e é a partir dela que se alcançará o objetivo principal da campanha, o convencimento.

As redes sociais são conhecidamente espaços de interação entre as pessoas e por isso, uma campanha em mídias sociais obrigatoriamente deve levar esse ponto em consideração.

No nosso curso de marketing político digital, é justamente no módulo que falamos sobre redes sociais que colocamos o ponto máximo dessa interação candidato/eleitor.

Ao cogitar sobre a adoção de um planejamento de marketing político na Internet tenha em mente que a essência do assunto é a questão do engajamento e interação com o eleitor, sem os quais não vale nem a pena pensar em marketing político digital.

Mantenha-se atualizado sobre marketing político na Internet e outros assuntos relacionados a este tema, assinando a nossa Newsletter.

Marketing político na Internet
5 em 19 avaliações